CÉREBRO

Tipos de Neurónios

O Axónio (podemos observar do lado direito) é a fibra principal de saída - a sua extensão pode variar entre escassos milímetros e um metro - que se prolonga a partir do corpo celular e que termina em ramificações chamadas terminais axónicas ou telodendrites. Nas extremidades destas situam-se os botões ou bolbos. Alguns axónios estão cobertos por uma camada de substância branca de matéria gorda, a bainha de mielina, que permite uma mais rápida transmissão da mensagem. Outros são apenas constituídos pela substância cinzenta. Para o neurónio manter a sua actividade e assegurar as suas funções tem de ser alimentado com oxigénio e glicose. São as células gliais ou células de glia que alimentam, isolam e controlam o crescimento dos neurónios. A interrupção da alimentação do neurónio provoca a sua morte.

Como já foi dito, anteriormente,  o Neurónio é a unidade-base do sistema nervoso. Os neurónios diferem segundo as suas funções e a sua localização. O corpo celular rodeado por uma fina membrana, inclui o núcleo celular, que é a central de energia da célula.

 

Ramificações finas, as dendrites - prolongam-se para o exterior recebendo as mensagens dos neurónios vizinhos, conduzindo-as  para o corpo celular. O número de dendrites, que pode atingir as centenas, varia segundo o tipo de neurónio.

Todos os neurónios estão presentes no momento do nascimento. O desenvolvimento físico provoca o crescimento dos neurónios que aumentam de tamanho, desenvolvendo-se o número de axónios e dendrites, assim como a quantidade de conexões que se estabelecem. Contudo, diferentemente das outras células do corpo, os neurónios não se dividem nem se reproduzem, sendo portanto insubstituíveis.

Do ponto de funcional podemos distinguir três tipos de neurónios:

 

 - Neurónios aferentes ou sensoriais – recolhem a informação do meio exterior ou interior e               conduzem-na ao sistema nervosos central, isto é, transportam a mensagem da periferia à espinal medula e ao cérebro;

 

 - Neurónios eferentes ou motores – transmitem a informação do sistema nervoso central para os órgãos efectores (músculos ou glândulas);

 

 - Neurónios de conexão ou motores – interpretam as informações e elaboram as respostas.

Na base de qualquer comportamento está a actividade dos neurónios responsáveis pela transmissão de mensagens: no afastamento da mão quando nos queimamos, na coordenação visual e muscular do futebolista, na composição de uma canção, na resolução de um problema matemático...

Subjacente a estes comportamentos está a função fundamental do neurónio, que é transmitir a mensagem, a informação, o impulso nervoso:

A função principal do neurónio é, portanto, a transmissão de impulsos nervosos. que são modificações de energia de natureza eléctrica ou química. Designa-se por influxo nervoso os impulsos nervosos que circulam nos nervos.

• recebe os sinais dos neurónios vizinhos

 

ENTRADA

• integra estes sinais

 

 

• gera um impulso nervoso

• conduz o impulso nervoso

• transmite-o a outro neurónio

 

SAÍDA